Mande a um amigo

Calor




Sinto gotas de pensar
Pelo meu corpo rubro.
A sede aumenta
E é sufocante a tua ausência.
O vermelho em labaredas
Fustiga a floresta sequiosa
Da minha saudade.
A praia onde me refresco
Só aparece
Quando o calor
Dos teus dedos me toca.
O estio é algo insuportável
Se não tiver à mão
O copo de água
Que o teu corpo me dá
Porque estou viciado
Nesse calor doce
Que é o teu Amor.


Autor ©: Peterleedolph , Braga 01/09/2006

Publicado No Jornal "Tribuna Pacense" em 1/9/2006

Publicado No Jornal "O Valenciano" em 17/1/2007

http://www.peterleedolph.com

Last Modified: May, 2nd 2012 Contact me Terms of Use & Privacy Go to top